Criatórios Mangalarga Marchador - Edição Kafé - page 92

90
O criador Tonhão começou a procura por garanhões
após a escolha das primeiras éguas que considerava
serem ideais para um cruzamento perfeito. A linhagem
Herdade despertou o interesse do proprietário do
Haras Kafé. O segundo cavalo a compor a tropa foi o
Ara Solar que, de acordo com o criador, trouxe mais
estrutura para seu plantel.
Urutau do Solarzinho
Foi em um leilão na capital mineira, em 1980, que Tonhão
adquiriu o garanhão Urutau do Solarzinho (Guitano Bela Cruz x
Malu Estrela).
O cavalo, que era de propriedade do criador Eduardo Costa
Simões, foi o primeiro garanhão do Haras Kafé. Vários de seus
descendentes - como: Bússula, Cantiga, Cruzeiro, Bruma, Elite e
Brinquedo - foram diversas vezes campeões em exposições do cavalo
Mangalarga Marchador.
Destaque na reprodução, Urutau do Solarzinho foi por oito vezes
Campeão Progênie de Pai.
Após Tonhão selecionar suas quatorze melhores descendentes, ele
colocou o garanhão à venda em um leilão em Blumenau (SC). O
animal foi comercializado, com preço recorde, para Antônio Ênio
dos Santos, do Haras Cruz de Malta, localizado em Itajaí (SC).
Os garanhões da linhagem JB também estavam
entre os animais requisitados por Tonhão, que decidiu
investir no Original de Santa Lúcia e, logo após, no
Palhaço de Ituverava.
A partir desses garanhões, Tonhão utilizou cavalos
com seu sufixo como Ritmo e Valioso Kafé.
Os primeiros garanhões
Recorte do “Catálogo Urutau do Solarzinho”, década de 80
Herdade Teatro (Avô)
Progênie do Urutau, Campeão em Altinópolis (SP), década de 80, apresentado por
Fernando Cardoso e equipe
1...,82,83,84,85,86,87,88,89,90,91 93,94,95,96,97,98,99,100,101,102,...156